Enel acaba com marca Eletropaulo e anuncia grandes investimentos para 2019

Algum tempo atrás falei aqui sobre o controle das malhas, redes de energia e sistemas de controle de consumo inteligente e automatizado, pois ai estão implementado pela Enel que passa a ocupar as operações da Eletropaulo á partir de agora

A companhia italiana de energia Enel, comprou a Eletropaulo por 5,5 bilhões de reais em junho deste ano, está apagando o antigo nome da distribuidora paulista e substituindo pelo próprio nome afim de tirar a imagem deixada pela ultima empresa . A partir de agora, a Eletropaulo se tornará Enel Distribuição São Paulo. Junto da troca de nome, a empresa anunciou investimentos da ordem de 17,6 bilhões de reais para até 2021.

O objetivo da companhia é apagar uma história recente de reclamações e problemas na distribuição da Grande São Paulo. A Eletropaulo era a maior distribuidora do país em volume de energia, mas enfrentava problemas com uma malha antiga e sucateada. A antiga proprietária da concessão, a americana AES, sofreu multas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) devido a baixos índices de qualidade dos seus serviços. A companhia usava o nome de Eletropaulo desde 1981.

Somente este ano, garante a Enel, serão investidos 1,2 bilhões de reais em modernização da rede e digitalização de processos. “Isso nos permitiu alcançar o menor índice de Interrupções da história e o segundo melhor índice de Duração de Interrupções da companhia em setembro”, segundo informa a presidência da Enel Distribuição São Paulo.

Com a aquisição, o Brasil se tornou o segundo maior mercado no mundo da Enel, que tem em seu país de origem a maior parte de suas operações. “A adoção da marca Enel reafirma o nosso compromisso com São Paulo e com o Brasil. A Enel agora parte para acelerar os investimentos que podem permitir o aumento da lucratividade da companhia. Ela espera um ganho de eficiência da ordem de 30% nos próximos anos com a instalação de medidores inteligentes, atualização da malha com o conceito de redes inteligentes, redução do roubo de energia e implementação de novas tecnologias nos processos internos.

A proposta de modernização dessa rede, é atacar principalmente  fragilidades, implementando tecnologia e manutenção preventiva. São Paulo é um desafio, com mais de 26 milhões de usuários e uma rede aérea suscetível a intempéries.

Com a alta tecnologia o sistema será totalmente monitorado e controlado pela demanda de consumo , acabando com as ligações clandestinas ou seja os famosos "gatos" .